Ciclistas e pedestres divulgam carta aberta ao prefeito Bruno Covas

Estadão - Alex Gomes - 26/04/2018 |

Em carta aberta divulgada em 18 de abril, as entidades Ciclocidade e Cidadeapé, que atuam respectivamente na promoção do uso da bicicleta e dos deslocamentos de pedestres, apresentam ao prefeito Bruno Covas (PSDB) apontamentos sobre a situação atual dos ciclistas e pedestres na cidade.

Na carta, as organizações lembram as obrigações da prefeitura definidas pelo governo federal: “Além de o Código de Trânsito Brasileiro reconhecer a prioridade para pedestres e ciclistas, o Brasil tem outros importantes marcos legais, como Estatuto das Cidades (2003), Política Nacional sobre Mudança do Clima (2009) e Política Nacional de Mobilidade Urbana (2012), que buscam construir cidades mais sustentáveis e saudáveis, e orientar o crescimento urbano.” Também são citadas a necessidade de se seguir as políticas públicas estabelecidas pela própria prefeitura: “No âmbito municipal, existem o Plano de Mobilidade Urbana (PlanMob) e o Plano Diretor Estratégico (PDE), ambos construídos com intensa participação popular e com base em diretrizes nacionais e internacionais de desenvolvimento urbano.”

O texto também cobra uma transformação das políticas municipais que privilegiam motoristas: “Isso exige uma mudança da priorização dos gastos orçamentários, que ainda privilegiam a manutenção da estrutura viária para veículos em detrimento das próprias calçadas e travessias.” Além disso, defende o planejamento cicloviário da cidade, que tem suas origens em estudos da CET da década de 1980: “O planejamento está refletido no próprio PlanMob e entendemos que as críticas à malha cicloviária precisam ser qualificadas e construtivas em vez de colocar em xeque toda a política pública de expansão dessas estruturas, que salvam vidas.” A explicação rebate a declaração do prefeito Bruno Covas (PSDB) de que as ciclovias da cidade foram lançadas de forma aleatória como orégano em pizza.

Ler Mais: Estadão
Ler Mais

Andar de bicicleta pode travar os efeitos do envelhecimento

Sic Notícias - 09/03/2018 |

Andar regularmente de bicicleta pode reduzir os efeitos do envelhecimento e ajudar a rejuvenescer o sistema imunitário. A conclusão é de um estudo britânico que acompanhou um grupo de 125 ciclistas amadores, com idades entre os 55 e os 79 anos, e simultaneamente avaliou um grupo de adultos saudáveis de várias idades, que habitualmente não faziam exercício.
A investigação permitiu perceber que os que praticavam ciclismo preservavam a massa muscular e a força, mantinham os valores de colesterol e de gordura no sangue estáveis e, no caso dos homens, os níveis de testosterona continuavam elevados. Contudo, o resultado mais surpreendente foi que os efeitos da prática regular deste exercício são extensíveis ao sistema imunitário.

A glândula timo, cuja principal função é a produção de células T, também conhecidas como linfócitos T, normalmente começa a atrofiar por volta dos 20 anos. No caso dos ciclistas que esta pesquisa acompanhou, indivíduos mais velhos continuavam a produzir tantas células T como uma pessoa mais nova.

Este órgão especial do sistema imunológico é também uma das mais importantes glândulas do corpo humano.

"Hipócrates (considerado o pai da Medicina) afirmou em 400 a.C. que o exercício é o melhor remédio para o Homem, mas a sua mensagem desvaneceu-se no tempo e nós hoje vivemos numa sociedade incrivelmente sedentária", sublinha Janet Lord, diretora do Instituto do Envelhecimento da Universidade de Birmingham, Reino Unido), e uma das responsáveis por este estudo.

A nossa pesquisa partiu da suposição de que o envelhecimento nos torna mais frágeis. A investigação deu-nos provas consistentes de que podemos encorajar as pessoas a fazer exercício com regularidade ao longo de toda a vida, na medida em que essa é uma solução viável para combater o problema de estarmos a viver mais mas com menos saúde", defende Janet Lord, em entrevista ao The Guardian.

Ler Mais: Sic Notícias
Ler Mais

CICLOVIA MUSICAL

Ciclovia Musical |

O QUE É
A Ciclovia Musical é um programa que integra ciclismo e música.

ONDE
Nos bairros de Campos Elíseos e Barra funda em São Paulo / SP

QUANDO
10 de março de 2018 das 9h00 às 16h30.

QUANTO
Gratuito

COMO FUNCIONA
São 32 concertos distribuídos em 20 locais. É possível assistir a qualquer concerto ou fazer um dos roteiros guiados de bicicleta com saída da Decathlon Marginal Tietê, Memorial da América Latina e Scala Park ou o roteiro para crianças: CicloKids Musical que terá na programação a obra musical “Pedro e o Lobo”.

DESTAQUES
“Uma Brisa - ação musical passageira para 111 ciclistas” de Maurício Kagel, híbrido de atividade esportiva e arte contemporânea - onde os ciclistas são os artistas em movimento.

Oficina de fotografia ”Fotografando com Mário” na Casa Mário de Andrade e no dia 10 os participantes terão um roteiro exclusivo para fotografarem os bairros e concertos: Ciclovia Fotográfica “Caminhos de Mário”.

COMO PARTICIPAR
Dirija-se ao locais do concerto para assistir ao grupo musical de sua preferência. É possível assistir vários concertos durante o dia.

Se preferir fazer um dos roteiros guiados, faça a sua inscrição aqui.

Se quiser participar como ciclista-artista, fazendo parte de “Uma Brisa”, reserve sua posição e veja as instruções aqui.

Venha de bike, de carro ou a pé.

Venha pedalar, passear pelos bairros e apreciar boa música conosco!

Ler Mais: Ciclovia Musical
Ler Mais

Grupo analisa o acesso por bike entre os campi Butantã e EACH

Jornal da USP - 10/01/2018 |

Em dezembro, os professores Reinaldo Pacheco e Thiago Allis, do curso de Lazer e Turismo da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, organizaram o evento Pedal Inter USP. Uma pedalada entre os campi da Cidade Universitária e da zona leste com o objetivo de chamar a atenção e analisar a necessidade de melhores condições de acessibilidade por bicicleta entre os dois campi da USP, localizadas na cidade de São Paulo.

A atividade contou com a participação de dez pessoas, entre alunos, ex-alunos, professores e comunidade em geral. O trajeto foi de 35 km, realizado no período de quatro horas. A organização do Pedal Inter USP também contou com a colaboração de Suzana Nogueira, do Departamento de Planejamento Cicloviário da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

“A ideia desse evento surgiu da necessidade de discutirmos as necessárias conexões para que tenhamos, em breve, uma malha cicloviária plenamente integrada”, explica o professor Reinaldo Pacheco, que avaliou os gargalos conectivos que se apresentaram em muitos trechos do trajeto, principalmente entre o centro de São Paulo e a zona leste. “O objetivo foi analisar a possibilidade de conexão cicloviária entre os dois campi já que, se houvesse a implantação de ciclovias pelas Marginais, integradas à cidade, este trajeto poderia ser feito em cerca de 1h30.”

Ler Mais: Jornal da USP
Ler Mais

Obra de Ciclovia é finalizada na Nossa Srª de Fátima, em Santos

A Tribuna - 10/01/2018 |

Obra realizada na pista da ciclovia da Avenida Nossa Senhora de Fátima terminou nesta quarta-feira (10). Reforma ocorreu no intervalo entre as proximidades da Rua Júlia Ferreira até a Rua Pedro Paulo Di Geovane.

A intervenção foi necessária porque o piso estava deteriorado. Os serviços fazem parte da primeira etapa de obras da entrada da Cidade. Desde a Rua Maria Patrícia até a Júlia Ferreira, já foram revitalizados 400 metros de pista.

“O próximo trecho contemplado com os trabalhos será defronte à Subprefeitura da Zona Noroeste e, por último, nas proximidades dos Tambores, divisa com São Vicente”, informa o engenheiro Carlos Barros, da Secretaria de Infraestrutura e Edificações.

Ler Mais: A Tribuna
Ler Mais